quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Meu mundo sem sentidos

Eu vejo um mundo sem flores. Às vezes me pergunto que cheiros teriam as flores que não vejo. As mesmas que não posso tocar, mas estão atentamente perseguindo o meu desejo.
Porque persigo o gasto e o descartável? O nicho libido da minha angustia que não precisa sentir. Deveras que não quer e necessita, mas a ação imponente do inexplicável desejo de ter cancela qualquer entendimento do sentido.
Por que preciso ter? Se a necessidade me faz querer e o desejo me faz desperdiçar?
Vejo que o que não me falta é sentimento. Sempre desejando o que não necessito. Tendo o que não desejo e necessitando o que não quero.

PS. Escrevi depois de ler http://navegandonahistoria.blogspot.com/2008/06/o-luxo-e-o-lixo-desejo-necessidade-e.html

2 comentários:

Fagner Abrêu disse...

ter o que não deseja e necessitar o que não quer é fruto de um capitalismo exarcerbado, de uma política neoliberal que muito influencia. A política do consumo surge desde o mercantilismo, onde as trocas por produtos que as pessoas necessitavam (as antigas feiras de Frankfurt) para a economia de mercado, precursor do que denominamos hoje de capitalismo. Acredito que este é um capitalismo, vulnerável, imperativo e imposto.
Lembro-me ao ler este texto do documentário "Notícias sobre uma guerra particular" e porque não de "Falcão, meninos do tráfico". Nestes dois filmes o desejo por um tenis Nike e uma bermuda da Mahalo é visível. Mas será que o tênis Nike nao tem a mesma função que um tenis nacional qualquer da mesma marca. Desejar o que não necessita muitas vezes funciona como a necessidade de se igualar a uma determinada classe. mas esta sociedade classista so existe devido ao capitalismo. Concluo que essa esse ciclo vicioso leva somente a uma forma de política, o neoliberalismo e a uma forma de economica o capitalismo.

"Libertas que sera Tamen"

Intrigando! disse...

Capitalismo no qual me enquadro...aliás, nos enquadramos.
Penso que o desejo de ter o que não preciso faz parte da lavagem cerebral publicitaria que vem sendo desenvolvida em nossas mentes desdo momento em que começamos a desenvolver raciocínio lógico.
Você lembrou do mercado de frankfurt e me lembrou da história do mercador de Veneza, que quando a pessoa não podia pagar pelo que comprava teria que pagar com um peso da sua carne.
Pagamos com nossa carne para manter o mercado...o consumo incentiva a produção que gera emprego que paga o que consumimos... real ciclo vicioso...