quarta-feira, abril 09, 2008

A menina que pedia desculpas

Da cadeira ao lado eu podia notar, ela andava tensa. Suas mãos suavam de uma forma que mais parecia uma enfermidade do que qualquer outra reação sentimental. Eu não a conhecia, mas sabia que ela era a menina que pedia desculpas.
Quando entrei na faculdade senti medo do novo, do que seria, ou do que viveria naquele lugar. Já tinha tido experiências em faculdades, mas dessa vez iria enfrentar pessoas da minha faixa etária. Me apresentei, fui apresentado, conheci pessoas, fiz amigos, amei alguns e detestei outros, mas o mais importante é que emoções eu vivi. Fiquei conhecido como o cara que fala com todo mundo, que brinca e que é chato.
Um dia uma amiga me perguntou, “ vizinho por que você não fala com a menina que pede desculpas?”, e eu parei para pensar nisso. Por quê? Comecei a pensar que em quase dois anos, quase não troquei mais que duas palavras com aquela menina. Gentil, simpática e brincalhona, percebi que ela tinha algumas características em comum comigo, era doce e simpática sempre, afinal ela era a menina que pedia desculpas e porque que a gente não tinha contato ou amizade? Fui para casa pensando nisso, subi o elevador pensando nisso, peguei as chaves em meu bolso esquerdo da calça pensando nisso, entrei em casa e até dei boa tarde a minha empregada pensando nisso! Estava em consumindo porque eu não sabia responder e pensei! Isso vai mudar.
No outro dia chegando na faculdade, cheguei atrasado, todos estavam no corredor. Não tinha aula naquele dia pois a professora iria faltar, percebi um grupinho de amigas conversando e em meio delas estava a menina que pedia desculpas, tentei uma aproximação, cheguei de mansinho dei um sorriso e voltei, não consegui falar com ninguém. Fiquei pasmo! Por que fiquei tão nervoso? Não consegui entender. Entrei na sala de aula coloquei as minha coisas e conversei com alguns amigos e logo voltei para casa.
Durante quase uma semana tentei me aproximar com um certo insucesso, realmente não conseguia me aproximar da menina que pedia desculpas, era um fato. Mas comecei a observa-la. O quanto ela era querida, desejada entre as amigas, simpática e risonha. Uma pessoa tão boa que cada vez que eu chegava a essa conclusão ficava cada vez mais envergonhado da minhas atitudes e pensei. Agora basta!
No outro dia tínhamos aula de campo para atelier de fotografia. Iríamos fotografar. Que bom, eu adoro fotografar. Logo que cheguei a professora perguntou: “ Quem vai fazer dupla com a menina que pedia desculpas?”, vi ali a minha chance. Sem pestanejar levantei o dedo e disse: - Eu! Vamos. No começo foi uma coisa estranha, um gelo a ser quebrado. Tive ajuda de outras amigas para que esse contato fosse de uma forma mais sutil e foi. Tive meu primeiro contato direto com a menina que pedia desculpas. Me senti aliviado. A primeira barreira fora quebrada.
Com o passar do semestre, ficamos mais a vontade para falar um com o outro, não chegamos a ser grandes amigos, nem a ter grandes conversas, mas era notória a diferença. Fazíamos até algumas brincadeirinhas do tipo: “ Olha só, eu falo com você viu!”. Não vou dizer que foi mágico porque a aproximação estava cada vez mais lenta, foi quando tive uma péssima noticia dada pela própria. A menina que pedia desculpas estava se despedindo. Ela iria trancar a faculdade. Nossa! como fiquei triste. Senti um frio, uma tristeza, fiquei mais uma vez envergonhado. Por que logo agora que eu iria me aproximar dela. Eu preciso dessa amizade!
Essa é a minha história com a menina que pedia desculpas. Que de tanto que feliz, pediu desculpas até por sair. Hoje sou eu quem pede desculpas.

* esse texto fiz em homenagem a uma amiga que não tive!

3 comentários:

Talita Queiroz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
grilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
grilo disse...

Diogo rocha braga em
Amigos ,viva cada dia, ao seu dia
As pessoas que vc não escolhe,as vezes,espera e não compreende que seus amigos podem te ajudar em qualquer circunstância ou dia,em uma festa,por exemplo, seja para dançar o tango ou a música,o rítmo do labamba,assim essa amizade,a troca de olhares, nutre a nossa confiança,a esperança de te-la junto de mim..
Então,ai no meio da festa a menina que pedia desculpas,me desejava eu sentia issso no docê olhar dela,então chamao-a para dançar e...
Naquele clima romântico do som latino,os dois corpos se fundem-se em uma mesma sintonia e a menina que pedia desculpas,de repente,por achar que tinha me magoado,por não ter coragem de ter me amado logo que me avistou entrelaça a sua boca nos meus doces lábios.
E no final como vc viu tudo se ajeitou numa bela sintonia já que isso são algumas das estratégias para amar e viver o amor,logo todos os dias e nesse dia dos namorados seja autêntico pois pedir desculpas e uma forma de agrado porque, quando se está amando o mais nobre dos sentimentos,e se redimir ou conquistar alguém portanto, não há momentos,hora marcada, mas, sim,paciência pois o amor acontece no seu devido tempo e vc vai sentir quando ele brotar o mais feliz dos sentimentos porque esse dia vai chegar quando vc mmenos esperar e a menina que pedia desculapas vai te amar,viver o amor e errar,acertar e se aventurar.dai pra frente a felicidade irá te acompanhar.
Viva essa experiência,vc vai gostar!
Autor :grilo